skip to main content

O papel do aminoácido leucina na modulação da atividade do peptídeo beta amiloide em células SH-SY5Y

Fabio Medici Lorenzeti Antonio Herbert Lancha Junior

2014

Localização: EEFE - Esc. Educação Física e Esporte    (T 796.027 L-17 )(Acessar)

  • Título:
    O papel do aminoácido leucina na modulação da atividade do peptídeo beta amiloide em células SH-SY5Y
  • Autor: Fabio Medici Lorenzeti
  • Antonio Herbert Lancha Junior
  • Assuntos: NUTRIÇÃO; AMINOÁCIDOS; FISIOLOGIA; Aminoácido Leucina; Apoptose Celular; Beta-Amyloid Peptide; Cellular Apoptosis; Células Sh-Sy5y; Leucine; Peptídeo Beta-Amilóide; Sh-Sy5y Cells
  • Notas: Dissertação (Mestrado)
  • Descrição: Estudos demonstram que a indução do estresse oxidativo pelo peptídeo beta amiloide (A?) exerce um importante papel no desencadeamento da excitotoxicidade neuronal o que pode resultar no desenvolvimento de doenças neurodegenerativas. A formação do peptídeo A "beta" se deve a alterações na proteína precursora de amiloide (APP) que é clivada para a formação do peptídeo A "beta". Por sua vez, os mecanismos de ação do A "beta" no S.N.C. ocorrem através da sinalização do receptor NMDA (N-metil D-aspartato) receptor este que quando ativado pelo glutamato exerce importante papel fisiológico no S.N.C., visto que apresenta atividade ionotrópica que permite o influxo de Na+ e Ca2+ para as células neuronais, auxiliando nos processos de formação da memória e aprendizagem. Entretanto, apesar do seu papel fisiológico, a ativação excessiva do receptor NMDA é fortemente correlacionada com lesões no S.N.C. decorrente da excessiva permeabilidade do íon Ca2+ para o citosol das células neuronais. Com isso as concentrações de glutamato na fenda sináptica são estritamente controladas para que não haja ativação excessiva dos receptores com atividade glutamatérgica, como o receptor NMDA. Estudos indicam que o transporte de glutamina/glutamato através da barreira hematoencefálica é menor do que de outros aminoácidos, sendo que cerca de 25% a 30% do transporte de aminoácidos dos vasos sanguíneos para o cérebro através da barreira hematoencefálica é ocupado pelo aminoácido leucina, sendo este um grande responsável pela síntese de glutamato/glutamina no S.N.C. (Continuação)
    (Continua) Com isso, estudos tem demonstrado que dietas enriquecidas com aminoácidos de cadeia ramificada, dentre eles a leucina, é responsável por alterar o metabolismo do glutamato e aumentar a susceptibilidade à excitotoxicidade de células neurais. A fim de testar esta hipótese utilizamos um modelo de cultura de células de neuroblastoma humano e realizamos o tratamento com diferentes concentrações de aminoácido leucina associado com o tratamento de peptídeo beta-amilóide. Realizamos as analises de citotoxicidade (LDH), viabilidade celular (MTT) e apoptose celular por citometria de fluxo (marcação com PE Anexina V e 7-AAD). Nossos resultados indicam que houve diferenças apenas entre o controle em relação aos demais grupos de tratamento
  • Data de criação/publicação: 2014
  • Formato: 31 p.
  • Idioma: Português

Buscando em bases de dados remotas. Favor aguardar.