skip to main content
Tipo de recurso Mostra resultados com: Mostra resultados com: Índice

Tratamento de lesão de bifurcação classe III com membrana de politetrafluoretileno expandido associado ou não ao externo de Pepgen P-15 flow estudo histomorfométrico em cães

Virgílio Moreira Roriz Márcio Fernando de Moraes Grisi

2004

Localização: FORP - Fac. Odont. de Ribeirão Preto    (Roriz, Virgílio Moreira ) e outros locais(Acessar)

  • Título:
    Tratamento de lesão de bifurcação classe III com membrana de politetrafluoretileno expandido associado ou não ao externo de Pepgen P-15 flow estudo histomorfométrico em cães
  • Autor: Virgílio Moreira Roriz
  • Márcio Fernando de Moraes Grisi
  • Assuntos: PERIODONTIA (ESTUDO EXPERIMENTAÇÃO)
  • Notas: Dissertação (Mestrado)
    Dissertação (Mestrado)-Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. Área de Concentração em Periodontia.
  • Descrição: A regeneração periodontal nos defeitos de bifurcação de classe III representa um dos maiores desafios da Periodontia, uma vez que a literatura nos mostra resultados pouco previsíveis com a utilização de diferentes abordagens objetivando a regeneração desses defeitos. Recentemente foi desenvolvido um enxerto ósseo enriquecido com peptídio (PepGen P-15), que empregado em defeitos infra-ósseos mostrou resultados satisfatórios. Assim, o objetivo desse estudo foi comparar a utilização da membrana de PTFE-e associada ao enxerto de PepGen P-15 Flow (Grupo Teste) com a membrana usada isoladamente (Grupo Controle), no tratamento de defeitos de bifurcação classe III em cães. Foram usados seis cães de raça indefinida, dos quais foram extraídos os segundos e quartos pré-molares inferiores e confeccionados defeitos de bifurcação classe III nos terceiros pré-molares bilateralmente. Os defeitos foram preenchidos com material de impressão e após 21 dias de cronificação foram debridados, as raízes aplainadas e marcadas ao nível ósseo. Cada dente foi aleatoriamente escolhido para ser o grupo teste ou o controle. Quatro semanas após a colocação das membranas, estas foram retiradas. Doze semanas depois, os animais foram sacrificados. Após análise através do teste Mann- Whitey, observou-se que não houve diferença estatística entre os grupos, em nenhum parâmetro avaliado. No Grupo Controle a média da área de formação óssea (ANO) correspondeu a 41,71 ± 24,07% da área
    total de bifurcação; a média da área de tecido epitelial (ATE) foi de 9,39 ± 5,85% e a de tecido conjuntivo (ATC) foi de 36,34 ± 15,5%. Com relação à extensão de cemento novo (ENC), esta ocupou 24,16 ± 13,18% da extensão total de bifurcação. O Grupo Teste apresentou as seguintes médias: ANO 31,84 ± 12,58%; ATE 9,17 ± 6,81%; ATC 47,42 ± 11,33% e ENC 30,13 ± 16,43%. Portanto, pode-se concluir que não houve diferença estatisticamente significante ... entre as terapias comparadas: membrana de PTFE-e associada ao enxerto de PepGen P-15 Flow ou a membrana usada isoladamente. Ambos os procedimentos não foram capazes de possibilitar a regeneração periodontal em toda extensão dos defeitos de bifurcação classe III em cães
  • Data de criação/publicação: 2004
  • Formato: 80 p. e anexos.
  • Idioma: Português

Buscando em bases de dados remotas. Favor aguardar.