skip to main content

The approach intersectoral for medical education in primary health care; A abordagem da intersetorialidade para o ensino médico em atenção primária

Forster, Aldaísa C.; Ferreira, Janise B. B.; Lima, Nereida Kilza Da Costa; Galati, Priscila Mina; Farche, Renata

Medicina (Ribeirão Preto. Online); v. 50 n. 1 (2017): jan./fev.; 58-65

Universidade de São Paulo 2017-02-16

Acesso online

  • Título:
    The approach intersectoral for medical education in primary health care; A abordagem da intersetorialidade para o ensino médico em atenção primária
  • Autor: Forster, Aldaísa C.; Ferreira, Janise B. B.; Lima, Nereida Kilza Da Costa; Galati, Priscila Mina; Farche, Renata
  • Assuntos: Education; Medical. Intersectorial Action. Primary Health Care. Social Determinants Of Health; Educação Médica; Ação Intersetorial. Atenção Primária À Saúde. Determinantes Sociais Da Saúde
  • É parte de: Medicina (Ribeirão Preto. Online); v. 50 n. 1 (2017): jan./fev.; 58-65
  • Descrição: Introdução: O processo de criação do Sistema Único de Saúde (SUS) como um modelo de atenção à saúde, mais humanizado, abrangente, eficaz e resolutivo tem a intersetorialidade como um de seus instrumentos para a transformação. No entanto, há escassez de artigos que abordem a intersetorialidade no contexto da educação médica e da organização das práticas, principalmente na atenção primária. Objetivo: Trazer à luz o conceito de intersetorialidade e o princípio da orientação comunitária na organização das práticas na realidade das equipes de saúde da família, no âmbito do SUS. Método: Análise documental realizada para discutir o conceito de intersetorialidade na obra de autores da Atenção Primária à Saúde (APS), na documentação oficial do Ministério da Saúde e em publicações selecionadas sobre a intersetorialidade. Discutiu-se também a orientação comunitária nas ações prestadas de APS segundo a percepção do médico e da equipe de saúde da família, no Brasil. Foi descrita a evolução do antigo Programa de Saúde da Família para a Estratégia de Saúde da Família como modelo de reorganização da atenção primária à saúde no SUS e no cenário de ensino das Unidades de Saúde da Família (USF) ligadas à Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto- Universidade de São Paulo, no período de 1999 a 2014. Resultados: A documentação oficial e científica consultada mostrou avanço das transformações nos serviços de Saúde da Família, como modelo de organização da APS no país. O cenário das USF orientado para a APS vem contribuindo para a adequação da formação médica e dos profissionais de saúde nessa área. Considerações finais: Não obstante, percebendo-se as potencialidades das práticas intersetoriais e orientadas para a comunidade na mudança do paradigma da saúde, há muito o que fazer no sentido amplo da intersetorialidade, que compreende a abordagem dos determinantes sociais da saúde no planejamento integrado local
    Introduction: The process of creating the Unified Health System (SUS) as one health care model more humanized, comprehensive, effective and decisive has intersectorality as one of its tools for transformation. However, there are few articles that address the intersectoral approach in the context of medical education and organization of practices, especially in primary care. Objective: Bring forth the concept of intersectionality and the principle of community orientation in the organization of practices in the reality of family health staffs, under the SUS. Method: Analysis of documents held to discuss the concept of intersectionality in the work of authors of Primary Health Care (PHC), the official documentation of the Ministry of Health and selected publications on intersectionality. It also discussed the community orientation in the given actions of Primary Health Care in the perception of the physician and the family health staffs in Brazil. It described the evolution of the former Family Health Program to the Family Health Strategy as reorganization model of PHC in the SUS and in the education scenario of the Family Health Units (FHU) involved in the Ribeirão Preto Medical School - University of São Paulo in the period from 1999 to 2014. Results: Official and scientific documentation consulted showed advance of changes in family health services, such as the PHC model of organization in the country. The setting of FHU oriented to PHC has contributed to the adaptation of medical training and health professionals in this area. Final Considerations: Nevertheless, perceiving the potential of intersectoral and practices geared towards the community in the health paradigm change, there is plenty to do in the broad sense of intersectionality comprising addressing the social determinants of health in local integrated plan
  • DOI: 10.11606/issn.2176-7262.v50i1p58-65
  • Títulos relacionados: https://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/135050/130896
  • Editor: Universidade de São Paulo
  • Data de publicação: 2017-02-16
  • Formato: Adobe PDF
  • Idioma: Português

Buscando em bases de dados remotas. Favor aguardar.