skip to main content

Os fundamentos da óptica geométrica de Johannes Kepler

Tossato, Claudemir Roque

Scientiae Studia; v. 5, n. 4 (2007); 471-499

Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas 2007-01-01

Acesso online

  • Título:
    Os fundamentos da óptica geométrica de Johannes Kepler
  • Autor: Tossato, Claudemir Roque
  • Assuntos: Optic; Kepler; Anatomy; Physiology; Plater; Alhazen; Retina; Crystalline; Óptica; Kepler; Anatomia; Fisiologia; Plater; Alhazen; Retina; Cristalino
  • É parte de: Scientiae Studia; v. 5, n. 4 (2007); 471-499
  • Descrição: Este texto apresenta a teoria kepleriana do processo de visão, exposta no quinto livro dos Paralipomena, publicado no ano de 1604. Destacam-se os seguintes aspectos: (1) o mapeamento do olho humano feito por Kepler, que teve como fundamento os trabalhos anatômicos de Felix Plater; (2) a analogia entre a câmara escura e o olho humano, entendendo-se que o último torna-se um instrumento dióptrico tal como a primeira; (3) o correto uso, segundo Kepler, da geometria para a constituição anatômico-fisiológica desenhada nos Paralipomena. A partir destes elementos, Kepler trata de dois pontos básicos para a óptica do século xvii: o primeiro determina que a imagem do objeto visto pelo olho forma-se na retina e não no cristalino; o segundo restringe o campo de estudos ópticos àquilo que pode ser tratado somente mediante os componentes ópticos, isto é, os constituintes anatômicos e fisiológicos, e as suas possibilidades de geometrização.
    This paper presents Kepler's theory of the process of vision, exposed in fifth book of Paralipomena, published in 1604. We pointed the following aspects: (1) the catalogue of the human eye made by Kepler, that was founded in Felix Plater's anatomical works; (2) the analogy between the obscure chamber and the human eye, with the understanding that the former is a dioptrical instrument like the last one; (3) the correct use, following Kepler, of geometry to the anatomical-physiological constitution exposed in the Paralipomena. From these elements, Kepler treats two basic points for the optic in the xvii th century: the first affirms that the image of the object seen by the eye is formed in the retina and not in the crystalline; the second restricts the realm of optical studies only to that treated through optical components, that is to say, to anatomical and physiological constituents, and their possibilities of geometrization.
  • DOI: 10.1590/S1678-31662007000400003
  • Títulos relacionados: https://www.revistas.usp.br/ss/article/view/11096/12864
  • Editor: Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
  • Data de publicação: 2007-01-01
  • Formato: Adobe PDF
  • Idioma: Português

Buscando em bases de dados remotas. Favor aguardar.