skip to main content

The expected cardiovascular benefit of plasma cholesterol lowering with or without LDL-C targets in healthy individuals at higher cardiovascular risk

Fernando Henpin Yue Cesena Antonio Gabriele Laurinavicius; Viviane A Valente; Raquel D Conceição; Raul D Santos; Márcio Sommer Bittencourt

Arquivos Brasileiros de Cardiologia São Paulo v. 108, n. 6, p. 518-525, 2017

São Paulo Sociedade Brasileira de Cardiologia 2017

Localização: FM - Fac. Medicina    (BCSEP 310/2017 ) e outros locais(Acessar)

  • Título:
    The expected cardiovascular benefit of plasma cholesterol lowering with or without LDL-C targets in healthy individuals at higher cardiovascular risk
  • Autor: Fernando Henpin Yue Cesena
  • Antonio Gabriele Laurinavicius; Viviane A Valente; Raquel D Conceição; Raul D Santos; Márcio Sommer Bittencourt
  • Assuntos: COLESTEROL; HIPERCOLESTEROLEMIA; FATORES DE RISCO; Doença Da Artéria Coronariana
  • É parte de: Arquivos Brasileiros de Cardiologia São Paulo v. 108, n. 6, p. 518-525, 2017
  • Notas: Disponível em: . Acesso em: 04 aug. 2017
  • Descrição: Fundamentos: Há controvérsias sobre se o controle do colesterol plasmático deve ou não se basear em metas de concentração de colesterol LDL (LDL-c). Objetivos: Comparar o impacto estimado de diferentes estratégias hipolipemiantes, baseadas ou não em metas de LDL-c, sobre o risco de eventos cardiovasculares maiores em uma população de risco cardiovascular mais elevado. Métodos: Foram incluídos indivíduos consecutivamente submetidos a uma avaliação rotineira de saúde em um único centro e que apresentavam um risco em 10 anos de doença cardiovascular aterosclerótica (DCVAS) ≥ 7,5% (“pooled cohort equations”, ACC/AHA, 2013). Para cada indivíduo, foram simuladas duas estratégias baseadas em meta de LDL-c (≤ 100 mg/dL [Emeta-100] ou ≤ 70 mg/dL [Emeta-70]) e duas estratégias baseadas em redução percentual do LDL-c (30% [E30%] ou 50% [E50%]). Resultados: Em 1.897 indivíduos (57 ± 7 anos, 96% homens, risco em 10 anos de DCVAS 13,7 ± 7,1%), o LDL-c seria reduzido de 141 ± 33 mg/dL para 99 ± 23 mg/dL na E30%, 71 ± 16 mg/dL na E50%, 98 ± 9 mg/dL na Emeta-100 e 70 ± 2 mg/dL na Emeta-70. O risco em 10 anos de DCVAS seria reduzido para 8,8 ± 4,8% na E50% e para 8,9 ± 5,2 na Emeta-70. O número de eventos cardiovasculares maiores prevenidos em 10 anos por 1.000 indivíduos seria de 32 na E30%, 31 na Emeta-100, 49 na E50% e 48 na Emeta-70. Em comparação com a Emeta-70, a E50% evitaria mais eventos no tercil inferior de LDL-c e menos eventos no tercil superior de LDL-c. Conclusões: As abordagens hipolipemiantes mais agressivas simuladas neste estudo, com base em meta de LDL-c ou redução percentual, podem potencialmente prevenir cerca de 50% mais eventos cardiovasculares graves na população em comparação com os tratamentos menos intensivos. Os níveis basais de LDL-c determinam qual estratégia (baseada ou não em meta de LDL-c) é mais
    apropriada para cada indivíduo.
  • Editor: São Paulo Sociedade Brasileira de Cardiologia
  • Data de publicação: 2017
  • Formato: p. 518-525.
  • Idioma: Inglês

Buscando em bases de dados remotas. Favor aguardar.