skip to main content
Tipo de recurso Mostra resultados com: Mostra resultados com: Índice

Consolidação óssea após fratura diafisária do fêmur em ratas com e sem osteoporose, e tratadas com terapia por vibração

Mariana Maloste Butezloff José Batista Volpon

2015

Localização: FMRP - Fac. Medicina de Ribeirão Preto    (Butezloff, Mariana Maloste )(Acessar)

  • Título:
    Consolidação óssea após fratura diafisária do fêmur em ratas com e sem osteoporose, e tratadas com terapia por vibração
  • Autor: Mariana Maloste Butezloff
  • José Batista Volpon
  • Assuntos: FRATURAS; OSTEOPOROSE; VIBRAÇÕES (TERAPIA); BIOMECÂNICA
  • Notas: Dissertação (Mestrado)
  • Descrição: As fraturas secundárias à osteoporose são frequentes na população idosa e constituem problema de saúde pública em virtude das complicações a elas associadas e à dificuldade na consolidação. O alto índice de osteoporose e suas consequências estimulam o estudo sobre diversos recursos físicos, mecânicos e medicamentosos que possam ser utilizados na prevenção e recuperação da perda de massa óssea. Entre esses tratamentos há a reposição hormonal, o aumento na ingestão de cálcio, o uso de agentes farmacológicos como os bisfosfonatos, a prática de atividade física, além do uso de recursos mecânicos, como a plataforma vibratória. Embora a aplicação da vibração parece ter efeito benéfico no osso osteoporótico, seus efeitos na consolidação de fratura de ossos osteoporóticos ainda não estão suficientemente esclarecidos. Neste estudo, a qualidade do tecido e do calo ósseo foi analisada em fémures de ratas com osteoporose submetidas à terapia por vibração. Foram utilizadas 41 ratas Wistar, aleatoriamente divididas em quatro grupos experimentais: (1) CON+FRAT: ratas normais, com fratura do fêmur direito; (2) OVX+FRAT: ratas ovariectomizadas e com fratura do fêmur direito; (3) CON+FRAT+TV: ratas normais, com fratura do fêmur direito e submetidas à terapia por vibração e; (4) OVX+FRAT+TV: ratas ovariectomizadas, com fratura do fêmur direito e submetidas à terapia por vibração. As ratas dos grupos OVX, OVX+FRAT e OVX+FRAT+TV foram submetidas ao procedimento cirúrgico de ovariectomia e os animais dos outros grupos foram expostos ao mesmo procedimento cirúrgico em que os ovários foram expostos, mas não removidos. Três meses após a extração dos ovários (ou cirurgia simulada), os animais dos grupos CON+FRAT, OVX+FRAT, CON+FRAT+TV e OVX+FRAT+TV foram submetidos à fratura mediodiafisária do fêmur direito pelo método fechado. Em seguida, a fratura foi estabilizada
    cirurgicamente com a colocação de um fio de Kirschner implantado intramedularmente por meio da exposição da fratura por uma mini-incisão realizada na face lateral da coxa, sobre a fratura. Para a avaliação do calo ósseo, cada grupo experimental foi dividido em dois subgrupos, conforme o tempo de acompanhamento pós-fratura: 14 e 28 dias. A terapia por vibração foi iniciada três dias após a produção da fratura, na frequência de 60Hz, três vezes por semana, por 20 minutos. A análise da qualidade óssea foi realizada tanto no fêmur não fraturado (esquerdo), como no calo ósseo, pela análise da densidade e conteúdo mineral ósseo (DXA), microtomografia (avaliação qualitativa e quantitativa da microestrutura óssea), e pela resistência mecânica (ensaio mecânico). De acordo com os achados, as ratas ovariectomizadas apresentaram importante perda de massa óssea, diminuição da resistência óssea e grave deterioração da microarquitetura do osso trabecular e cortical, além da redução da densidade e do volume do calo ósseo. Por outro lado, a terapia por vibração representou importante papel na recuperação, tanto no osso intacto osteoporótico, como no não osteoporótico, com ou sem fratura. No osso intacto, a terapia por vibração causou aumento da massa óssea, da resistência mecânica à fratura e significaste melhora na microarquitetura óssea trabecular e cortical. Além disso, o uso da plataforma vibratória exerceu efeito positivo significativo na consolidação óssea das ratas ovariectomizadas, proporcionando aumento no volume e densidade do calo. A terapia por vibração melhorou tanto a qualidade do tecido ósseo, como do calo ósseo nas ratas ovariectomizadas
  • Data de publicação: 2015
  • Formato: 75 p [manuscrito].
  • Idioma: Português

Buscando em bases de dados remotas. Favor aguardar.