skip to main content

Uma análise das limitações estruturais do Mercosul a partir das posições da política externa brasileira

Mariano, Marcelo Passini ; Ramanzini Júnior, Haroldo

Revista de Sociologia e Política, 01 October 2012, Vol.20(43), pp.23-41 [Periódico revisado por pares]

Texto completo disponível

Ver todas as versões
Citações Citado por
  • Título:
    Uma análise das limitações estruturais do Mercosul a partir das posições da política externa brasileira
  • Autor: Mariano, Marcelo Passini ; Ramanzini Júnior, Haroldo
  • Assuntos: Political Science ; Sociology ; Mercosul ; Política Externa Brasileira ; Itamaraty ; Integração Regional ; Mercosul ; Brazilian Foreign Policy ; Itamaraty ; Regional Integration ; Mercosul ; Politique Extérieure Brésilienne ; Itamaraty ; Intégration Régionale ; Political Science
  • É parte de: Revista de Sociologia e Política, 01 October 2012, Vol.20(43), pp.23-41
  • Descrição: O objetivo deste trabalho consiste em analisar a construção do que chamamos de "modelo de Mercosul" presente na política externa brasileira, desde o início da década de 1990 até a segunda metade da década de 2000. Partindo do pressuposto de que as posições do Brasil têm um papel relevante na definição do arcabouço do processo de integração, a hipótese é que o padrão de comportamento brasileiro limita a amplitude do bloco, principalmente no que se refere à questão do seu aprofundamento, pois envolve questões como o comprometimento com as decisões tomadas, a legitimidade dos mecanismos institucionais criados, a coordenação das expectativas dos diversos atores domésticos e, principalmente, o alcance das medidas propostas para solucionar ou diminuir as assimetrias existentes entre os estados. As posições brasileiras são fundamentadas na lógica da intergovernamentalidade e são mais adaptadas à expansão do bloco do que propriamente ao seu aprofundamento. O artigo aborda os aspectos formadores do padrão de comportamento externo do Brasil e, em seguida, procura identificar as principais linhas de atuação do país em relação ao bloco no período analisado. Um dos argumentos principais do artigo diz respeito às sucessivas crises institucionais do Mercosul, procurando relacioná-las aos limites estruturais desse modelo, que é compatível com os elementos formadores da política externa brasileira, mas que não tem se mostrado suficiente para sustentar um processo de aprofundamento da integração.
  • Idioma: Português

Buscando em bases de dados remotas. Favor aguardar.