skip to main content

Atividades de natação, salto ou vibração na prevenção da osteopenia secundário à hipoatividade no rato

Maurício José Falcai José Batista Volpon

2014

Localização: FMRP - Fac. Medicina de Ribeirão Preto    (Falcai, Maurício José )(Acessar)

  • Título:
    Atividades de natação, salto ou vibração na prevenção da osteopenia secundário à hipoatividade no rato
  • Autor: Maurício José Falcai
  • José Batista Volpon
  • Assuntos: EXERCÍCIO FÍSICO; VIBRAÇÕES; NATAÇÃO; OSSO E OSSOS; OSTEOPOROSE; RATOS
  • Notas: Tese (Doutorado)
  • Descrição: Introdução: no combate à deterioração do tecido ósseo os esforços ocorrem em várias vertentes, tanto preventivamente, como em termos de tratamento, por meio de fármacos, hormônios e/ou práticas físicas. Objetivo: analisar se os efeitos dos exercícios físicos por meio da natação, salto e vibração, são eficazes na prevenção da osteopenia de desuso provocada na rata e comparar a eficiência dos três métodos entre si. Material e Método: ratas Wistar adultas jovens foram distribuídas em oito grupos: S: animais suspensos pela cauda durante três semanas, C-S: animais normais de características biológicas semelhantes aos grupos anteriores, apenas mentidos em gaiolas comuns, durante três semanas, S+NAT: animais suspensos pela cauda durante três semanas, interrompidos para treinamento de natação durante esse período, S+‘C IND.NAT’: ratas suspensas pela cauda durante três semanas e retiradas da suspensão durante o mesmo período que o grupo tratado, porém sem a natação, S+SALT: animais em suspensão pela cauda durante três semanas temporariamente interrompidos par treinamento de salto durante esse período, S+‘C IND.SALT’: animais em suspensão pela cauda durante três semanas e retirados da suspensão durante o mesmo tempo que no grupo salto, mas sem atividade induzida, S+VIBR: animais suspensos pela cauda durante três semanas, com interrupção para aplicação de vibração durante esse período, S+‘C IND.VIBR’: animais suspensos pela cauda durante três semanas e retirados da suspensão durante o mesmo tempo que no grupo vibração, apenas mentidos em gaiola comum. Os métodos de avaliação do osso consistiram na determinação da densidade mineral, da resistência mecânica, da atividade osteogênica e histomorfometria. Resultados: A eficácia da suspensão com modelo de osteopenia foi constatada em todas as análises realizadas, que foi confirmada pela piora Dignificante
    da qualidade óssea com redução expressiva de 22% da densidade mineral óssea (p<0,05), 39% da resistência mecânica (p<0,05), 17% dos níveis plasmáticos de osteocalcina (p<0,05), 28% da espessura trabecular (p<0,05) e 47% da quantidade de osteoblastos (p<0,05). Além disso, a reabsorção óssea foi bem evidenciada pelo acentuado número de osteoclastos, aumento da superfície de reabsorção óssea e superfície osteoclástica. A densidade mineral óssea, a força máxima, a maioria dos parâmetros histomorfométricos e os indicadores bioquímicos de osteogênese aumentaram significativamente nos grupos treinados em relação aos grupos controles suspensos, indicando melhora da qualidade óssea. Nas comparações dos grupos entre si, os grupos S+NAT e S+SALT aumentaram significativamente a densidade mineral óssea em relação ao grupo S+VIBR, além do parâmetro histomorfométrico que representou a separação trabecular do grupo S+NAT permaneceu significativamente menor que no grupo S+VIBR. Os indicadores mostraram que os treinamentos de natação e salto foram equivalentes na preservação da qualidade óssea. Conclusão: os treinamentos físicos aqui investigados foram eficazes como métodos preventivos de perda ossea induzida pela hipoatividade. A comparação entre as três modalidades físicas sugerem que a natação e o salto foram mais eficientes no combate da perda óssea em relação à terapia por vibração
  • Data de publicação: 2014
  • Formato: 80 p anexos.
  • Idioma: Português

Buscando em bases de dados remotas. Favor aguardar.