skip to main content

Caracterização de sítios hidrofóbicos em substâncias húmicas e interações com pesticidas determinados por espectroscopia, microscopia e polarografia

Julieta Adriana Ferreira Ladislau Martin Neto

2002

Localização: IQSC - Inst. Química de São Carlos    (T1347 )(Acessar)

  • Título:
    Caracterização de sítios hidrofóbicos em substâncias húmicas e interações com pesticidas determinados por espectroscopia, microscopia e polarografia
  • Autor: Julieta Adriana Ferreira
  • Ladislau Martin Neto
  • Assuntos: HERBICIDAS
  • Notas: Tese (Doutorado)
  • Descrição: No presente trabalho utilizou-se marcadores hidrofóbicos específicos, detectáveis pelas espectroscopias de fluorescência, ressonância paramagnética eletrônica e ressonância magnética nuclear de 'ANTPOT.13 C' em líquido, na identificação e caracterização de regiões hidrofóbicas nas moléculas dos ácidos húmicos em função do pH. Foram utilizados o pireno, o marcador de spin 5-SASL (ácido esteárico contendo o radical livre nitróxido na posição 5 na cadeia de hidrocarbonetos) e o [1-'ANTPOT.13 C']ácido oleico (cis-9-ácido octadecenóico - enriquecido com 99% de 'ANTPOT.13 C' na carboxila). Foi observado pelo comportamento fluorescente do pireno uma associação entre as moléculas húmicas, sendo essa associação devida às interações hidrofóbicas, independentemente do valor do pH das suspensões. As interações entre os marcadores 5-SASL e [1-'ANTPOT.13 C']ácido oleico e os ácidos húmicos foram atribuídas principalmente às interações hidrofóbicas e/ou às forças de van-der-Waals nas regiões hidrofóbicas 'internas' (para valores de pH menor que 5,0) ou sítios hidrofóbicos superficiais (para valores de pH maiores que 5,0) presentes nas moléculas húmicas em suspensão. Não foi observado nenhuma contribuição iônica entre as moléculas desses marcadores e as húmicas para todo o intervalo de pH utilizado. Estudou-se também mecanismos de interação entre os herbicidas atrazina e imazaquim com ácidos húmicos e o solo inteiro usando métodos espectroscópicos, como a
    ressonância paramagnética eletrônica e infravermelho com transformada de Fourier, e métodos polarográficos. Os resultados indicaram que a sorção dos herbicidas imazaquim e atrazina no solo e nos seus respectivos ácidos húmicos aumentam com o decréscimo do pH, sendo essa sorção atribuída à afinidade hidrofóbica dos herbicidas pelos colóides do solo e pelas moléculas dos ácidos húmicos. Os resultados espectroscópicos indicaram também que o imazaquim e a atrazina podem ) estar interagindo com os ácidos húmicos por ligações de hidrogênio e/ou transferência de próton, troca catiônica (para valores muito baixos de pH) e principalmente interações hidrofóbicas. Nenhum mecanismo forte de reação foi observado, como a transferência de carga
  • Data de publicação: 2002
  • Formato: 200 p.
  • Idioma: Português

Buscando em bases de dados remotas. Favor aguardar.