skip to main content

Germinação e morfo-anatomia do desenvolvimento em Melocactus ernestii Vaupel e M. Paucispinus Heimen & R. J. Paul (Cactaceae)

Deusa Deise Santos de Abreu Gladys Flávia de Albuquerque Melo de Pinna

2008

Localização: IB - Instituto de Biociências    (M-1368 )(Acessar)

  • Título:
    Germinação e morfo-anatomia do desenvolvimento em Melocactus ernestii Vaupel e M. Paucispinus Heimen & R. J. Paul (Cactaceae)
  • Autor: Deusa Deise Santos de Abreu
  • Gladys Flávia de Albuquerque Melo de Pinna
  • Assuntos: CACTUS (ANATOMIA); GERMINAÇÃO
  • Notas: Dissertação (Mestrado)
  • Descrição: Cactaceae contém entre 1500-1800 espécies que apresentam adaptações morfológicas e fisiológicas para habitarem ambientes áridos. Seus representantes possuem grande variedade de tamanhos e formas que constituem diferentes tipos de hábitos. Devido tamanha diversidade foram escolhidas espécies desta família como objeto de estudo para esta dissertação. A proposta central deste trabalho foi o estudo do desenvolvimento de Melocactus ernestii e paucispinus, segundo análises morfo-anatômicas. Para sua execução, coletaram-se frutos dos indivíduos em campo para posterior germinação de suas sementes. Esse experimento, além de gerar os indivíduos em diferentes estádios de desenvolvimento para as análises morfológicas e anatômicas possibilitou a realização de testar a influência da disponibilidade de água no padrão de germinação. Como resultados, podemos citar que a falta de água, além de retardar o início da germinação, diminui sensivelmente o número de sementes germinadas e o período de germinação. Ao analisar o desenvolvimento morfológico das duas espécies, foram observadas diferenças nas esculturas dos tegumentos das sementes, como também na quantidade de espinhos produzidos pelas aréolas fatos importantes para a delimitação das espécies no grupo. Já com as análises anatômicas foi possível observar modificações do sistema de revestimento como formação das papilas em plântulas e a presença de cotilédones suculentos. Observou-se no meristema apical caulinar a formação dos
    primórdios foliares e a gema axilar denominada aréola que por sua vez produzirá espinhos e tricomas. No sistema vascular diferentes padrões de espessamentos para as traqueídes (WBT) foram observados. O sistema radicular apresentou um desenvolvimento, em geral, duas vezes mais rápido que o caule, característica fundamental para garantir o estabelecimento da plântula em ambientes xéricos
  • Data de publicação: 2008
  • Formato: x, 126 p. il.
  • Idioma: Português

Buscando em bases de dados remotas. Favor aguardar.