skip to main content

Influência do tipo do treinamento físico de atletas lutadores de Ju Jitsu e de corredores na modulação autonômica cardíaca

Débora Andréa dos Santos Tais Tinucci

2005

Localização: EEFE - Esc. Educação Física e Esporte    (T 796.073 S-10 )(Acessar)

  • Título:
    Influência do tipo do treinamento físico de atletas lutadores de Ju Jitsu e de corredores na modulação autonômica cardíaca
  • Autor: Débora Andréa dos Santos
  • Tais Tinucci
  • Assuntos: FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO; TREINAMENTO ESPORTIVO
  • Notas: Dissertação (Mestrado)
  • Descrição: O objetivo desse estudo foi avaliar a influência do tipo de treinamento físico na modulação autonômica cardíaca em atletas de diferentes modalidades esportivas. Oito lutadores de jujitsu, seis corredores e oito indivíduos controle com idades pareadas foram estudados. Em sequencia, para avaliar o nível de condicionamento físico os voluntários submeteram-se a teste ergoespirométrico no qual os corredores apresentaram VO2 pico significantemente maior em relação aos demais os grupos (43,3+-3,9 vs 51,1 +-6,5* vs 39,2+-3,9 ml.kg.min-1) p<0,05, e contração voluntária máxima sendo que os lutadores apresentaram maior força em relação aos outros grupos (59,2+-4,8* vs 41,5+-7,3 vs 37,2+-8,4 kg) p<0,05. Foi realizada a monitoração da pressão arterial de 24 horas. O protocolo experimental foi desenhado para avaliar a modulação cardiovascular da frequencia cardíaca atraves da análise espectral durante o período de repouso na posição supina, respiração controlada e na posição sentada e pós-exercício dinâmico e estático desenvolvido na cadeira extensora com 30% da contração voluntária máxima. A monitorização da pressão arterial de 24 horas nos lutadores de ju jitsu, corredores e controles não foi diferente significantemente. Na sessão experimental no período de repouso na posição supina e na respiração controlada a VFC e a VPA não foram diferentes entre os grupos. Após o exercício dinâmico o componente de baixa frequencia da VFC foi significantemente
    maior e após o exercício estático, o aumento da frequencia cardíaca foi seguido por um aumento do componente de baixa frequencia e uma redução no componente de alta frequencia nos tres grupos estudados. O grupo controle mostrou aumento significante no componente BF na VPA sistólica quando comparado aos corredores. Estes resultados mostraram que o tipo de treinamento físico não afetou a modulação autonômica cardíaca durante o período de repouso, respiração controlada e após exercício dinâmico e estático a 30% CVM. Não importa qual o tipo do treinamento físico, o exercício estático provocou aumentos na VFC, Em conclusão: o tipo do treinamento físico não influencia na variabilidade da frequencia cardíaca e da pressão arterial, no repouso, na respiração controlada e pós-exercício dinâmico e estático
  • Data de publicação: 2005
  • Formato: xvii, 59 p.
  • Idioma: Português

Buscando em bases de dados remotas. Favor aguardar.