skip to main content

Determinação da altura individual de queda dos saltos em profundidade em atletas de voleibol de ambos os sexos

André Luiz Felix Rodacki Maria Augusta P. D Kiss (Maria Augusta Peduti Dal')

1997

Localização: EEFE - Esc. Educação Física e Esporte    (T 796.073 R-7 )(Acessar)

  • Título:
    Determinação da altura individual de queda dos saltos em profundidade em atletas de voleibol de ambos os sexos
  • Autor: André Luiz Felix Rodacki
  • Maria Augusta P. D Kiss (Maria Augusta Peduti Dal')
  • Assuntos: TREINAMENTO ESPORTIVO; ANTROPOMETRIA; VOLEIBOL
  • Notas: Dissertação (Mestrado)
  • Descrição: O propósito do estudo foi estabelecer uma equação estatística preditiva da altura individual de queda(AIQ) dos saltos em profundidade(SP) para atletas de elite de ambos os sexos, a partir de variáveis funcionais do salto vertical(SV) e um conjunto de variáveis antropométricas. Os dados foram obtidos a partir de uma amostra de 51 jogadores de voleibol, pertencentes a clubes esportivos do estado de São Paulo envolvidos na Liga Nacional de Voleibol - 1996. A amostra foi dividida em dois grupos com 26 homens (20'+ ou -'2,4 anos) e 25 mulheres (22'+ ou -'3,5 anos). As variáveis antropométricas compreenderam medidas de massa, comprimentos e alturas, circunferências e índices antropométricos. As medidas de massa utilizada foram: dobras cutâneas de tríceps braquial (DTRI), subescapular(DSUB), suprailíaca(DSIL), abdominal(DABD), coxa(DCOX), perna (DPER), o somatório total de dobras cutâneas medidas(STDC), o somatório das dobras cutâneas de segmento superior e tronco(DCSS) e o somatório de segmentos inferiores(DCSI). As medidas de comprimentos e alturas foram a altura tronco-cefálica(ATC) e troncantérica(ATRO), os comprimentos de coxa(CCOX) e perna(CPER). As circunferências foram as medidas absolutas de coxa(PCOX) e perna(PPER) e as circunferências corrigidas de coxa(PCCO) e perna(PCPE). O índice de massa corporal(IMC), o índice esquélico(IESQ) e o índice crural(ICRU) foram calculados. As variáveis funcionais consideradas foram subdivididas em variável absoluta(IVA - elevação absoluta do centro de gravidade) e relativa (IVR - nomograma de Lewis). (Continua)
    (Continuação) A elevação do centro de gravidade(ECG) foi determinada através do tempo de vôo mediano de três SV máximos intervalados, com contramovimento medidos no equipamento ergojump'MARCA REGISTRADA'. A variável resposta foi determinada experimentalmente pela altura de queda que proporcionou maior ECG no SV subseqüente. O tempo de contato(TC) com o solo nos saltos em profundidade foi ) controlado através do ergojump'MARCA REGISTRADA'. No grupo masculino foi possível determinar uma equação preditiva a partir das variáveis IVR e ATC, com R²ajustado = 78,05% e DPE = 4,73 cm, representada por: AIQ = 60,00 + 0,695 (IVR) - 1,01 (ATC). O modelo preditivo feminino incluiu somente as variáveis de IESQ e DTRI e é descrita por: AIQ = -48,39 + 0,977 (IESQ) - 0,528(DTRI), com R²ajustado = 58,78% e DPE = 0,98cm. Foi possível concluir que AIQ dos SP pode ser predita através de variáveis antropométricas e funcionais do SV somente para os jogadores msculinos de voleibol. Recomenda-se a realização de estudos complementares de validação para as equações de ambos os grupos
  • Data de publicação: 1997
  • Formato: 155 p.
  • Idioma: Português

Buscando em bases de dados remotas. Favor aguardar.