skip to main content

Caracterização da vegetação remanescente visando à conservação e restauração florestal no município de Paulínia - SP

Miachir, Jeanette Inamine

Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP; Universidade de São Paulo; Ecologia de Agroecossistemas 2009-09-21

Acesso online. A biblioteca também possui exemplares impressos.

  • Título:
    Caracterização da vegetação remanescente visando à conservação e restauração florestal no município de Paulínia - SP
  • Autor: Miachir, Jeanette Inamine
  • Orientador: Kageyama, Paulo Yoshio
  • Assuntos: Comunidades Vegetais; Ecologia Florestal; Florestas - Restauração - Paulínia (Sp); Manejo Florestal; Proteção Florestal; Plantas Raras; Quick Floristic Search; Paulinia; Conservation; Rare Species
  • Notas: Tese (Doutorado)
  • Notas Locais: Programa Interunidades em Ecologia de Agroecossistemas ESALQ/CENA
  • Descrição: No contexto da conservação biológica, a fragmentação florestal é definida como uma separação ou desligamento não natural de áreas amplas em fragmentos espacialmente segregados, promovendo a redução dos tipos de habitats e a divisão dos habitats remanescentes em unidades menores e isoladas. A magnitude e a extensão dessas alterações na paisagem são influenciadas pelo tamanho, conectividade, forma, contexto e heterogeneidade dos fragmentos. Visando a conservação ambiental do município de Paulínia-SP, este trabalho teve como objetivo efetuar o diagnóstico da vegetação remanescente. Os fragmentos florestais identificados no município foram: Floresta Estacional Semidecidual, Floresta Estacional Semidecidual Ribeirinha, Floresta Paludosa e Cerrado. A caracterização da vegetação foi realizada através do levantamento florístico rápido baseado no tempo de amostragem. Os 104 fragmentos apresentaram riqueza de 517 espécies, sendo 447 espécies nativas regionais (região de Paulínia), 18 espécies nativas não regionais (nativas de outras regiões do Brasil) e 52 exóticas (originárias de outros países). Foram registradas espécies raras como Tabebuia insignis, Pilocarpus pennatifolius, Salix humboldtiana, Handroanthus umbellatus. A análise de similaridade florísica utilizando-se o Método de agrupamento de Sorensen foi efetiva para separar os fragmentos de Cerrado e Floresta Paludosa e mostrou tendência de agrupamento para algumas variações fisionômicas da Floresta Estacional Semidecidual. Com a finalidade de se obter dados quantitativos (abundância) das espécies, foram registradas todas as espécies diferentes encontradas em cada intervalo de tempo de amostragem no Levantamento Rápido. Obtiveram-se indicativos das 517 espécies com relação a serem raras ou comuns na paisagem, em cada formação florestal e em cada fragmento estudado. Foi aplicado um total de 801 intervalos de tempo de 15 min de amostragem e gerados 21.324 registros. A composição de espécies variou com o tamanho e grau de conservação dos fragmentos. Foram analisadas as influências do tipo de fisionomia florestal, tamanho e estado de conservação dos fragmentos na composição das espécies em relação às classes de sucessão ecológica e às síndromes de dispersão. A composição das classes de sucessão variou com o tamanho e estado de conservação dos remanescentes de Floresta Estacional Semidecidual e Floresta Estacional Semidecidual Ribeirinha. Em fragmentos menores e muito degradados houve predominância de espécies em estágios iniciais de sucessão (pioneiras e secundárias) em relação à classe de final de sucessão (clímax). Houve predominância da zoocoria, seguida de anemocoria e depois autocoria em todas as situações analisadas.
  • DOI: 10.11606/T.91.2009.tde-13102009-155520
  • Editor: Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP; Universidade de São Paulo; Ecologia de Agroecossistemas
  • Data de publicação: 2009-09-21
  • Formato: Adobe PDF
  • Idioma: Português

Buscando em bases de dados remotas. Favor aguardar.