skip to main content

Estudo retrospectivo de casuística, abrangendo metodologia diagnóstica da osteoartrite em eqüinos

Veiga, Ana Carolina Rocha

Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP; Universidade de São Paulo; Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia 2006-12-20

Acesso online. A biblioteca também possui exemplares impressos.

  • Título:
    Estudo retrospectivo de casuística, abrangendo metodologia diagnóstica da osteoartrite em eqüinos
  • Autor: Veiga, Ana Carolina Rocha
  • Orientador: Baccarin, Raquel Yvonne Arantes
  • Assuntos: Articulações (Veterinária); Eqüinos; Osteoartrite; Doenças Das Articulações Em Animal; Diagnóstico (Veterinária); Diseases In Animal Joints (Veterinary); Diagnose (Veterinary); Joints; Osteoarthritis; Equines
  • Notas: Dissertação (Mestrado)
  • Descrição: Nos eqüinos, as articulações sinoviais são submetidas a graus variáveis de estresse físico, de acordo com o tipo de movimento executado. Com o trabalho ou treinamento intenso, o aumento da carga imposta aos seus tecidos pode provocar sinovite mecanicamente induzida, com produção e liberação de citocinas, e conseqüentemente estimulação de metaloproteinases e de outros componentes inflamatórios. Estes eventos podem acarretar em desequilíbrio entre os processos de síntese e degradação de proteoglicanos e glicosaminoglicanos da matriz cartilagínea, levando a osteoartrite. Perante a magnitude de ocorrência de osteoartrite em eqüinos atletas, teve-se como objetivo caracterizar a população de cavalos, com diagnóstico firmado de osteoartrite, atendida junto ao Serviço de Clínica Médica de Eqüinos do Hospital Veterinário (HOVET) da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo (FMVZ/USP), em um período de 10 anos. O levantamento da casuística foi executado através da análise de fichas de registro dos casos antigos. A amostragem foi composta envolvendo a totalidade de casos de eqüídeos, com diagnóstico firmado da doença articular, arrolando-se e analisando-se dados referentes a: espécie, idade, sexo, peso, raça, atividade esportiva, início e evolução da doença, tipo de manifestação clínica, e exames radiográficos. Foram analisados 152 prontuários de eqüídeos acometidos por osteoartrite. Observou-se que a maioria tratava-se de animais da espécie eqüina, com idade média de 8 anos, macho ou fêmea, das raças Quarto de Milha, Mangalarga Paulista e sem raça definida, pesando em torno de 420kg, praticantes de romaria ou provas de Quarto de Milha.O tempo médio entre o início da sintomatologia de osteoartrite e o atendimento hospitalar foi de 7,7 meses.A análise estatística não mostrou relação entre presença de claudicação, dor palpável, sensibilidade em casco, sensibilidade muscular, teste de flexão positiva e atividade exercida (p>0,05). Porém, mostrou correlação entre a presença de edema/calor e atividade exercida (p<0,05). Também não mostrou relação entre dor palpável, edema/calor, sensibilidade de casco, sensibilidade muscular, e claudicação (p>0,05). Mediante os resultados obtidos pela avaliação radiográfica dos pacientes acometidos por osteoartrite, notou-se que não houve relação direta entre o menor e maior escore em relação à presença ou não de claudicação. Concluiu-se que o perfil do paciente, acometido por osteoartrite, mais freqüentemente atendido pelo Serviço de Clínica Médica de Eqüinos ? HOVET ? USP trata-se da espécie eqüina, da raça Quarto de Milha, 8 anos de idade, 420 kg, praticante de provas de Quarto de Milha.
  • DOI: 10.11606/D.10.2006.tde-16052007-091454
  • Editor: Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP; Universidade de São Paulo; Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia
  • Data de publicação: 2006-12-20
  • Formato: Adobe PDF
  • Idioma: Português

Buscando em bases de dados remotas. Favor aguardar.