skip to main content

Avaliação anatômica comparativa da valva mitral e da valva aórtica de corações normais e com cardiomiopatia dilatada isquêmica e idiopática

Caldas, Guilherme Martins Marrelli

Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP; Universidade de São Paulo; Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia 2006-12-19

Acesso online. A biblioteca também possui exemplares impressos.

  • Título:
    Avaliação anatômica comparativa da valva mitral e da valva aórtica de corações normais e com cardiomiopatia dilatada isquêmica e idiopática
  • Autor: Caldas, Guilherme Martins Marrelli
  • Orientador: Jatene, Fabio Biscegli
  • Assuntos: Anatomia; Valva Mitral; Miocardiopatias; Valvas Cardíacas; Coração; Heart; Cardiomyopathy; Mitral Valve; Anatomy; Heart Valve
  • Notas: Dissertação (Mestrado)
  • Descrição: O objetivo deste trabalho foi estudar e comparar a valva mitral e a valva aórtica e em corações com cardiomiopatia dilatada (CMD) de etiologia isquêmica e idiopática, em relação aos corações humanos normais, buscando identificar variações que possam auxiliar em diagnósticos por imagem e para o tratamento cirúrgico das mesmas. Este estudo analisou 22 corações normais, 15 corações dilatados de etiologia isquêmica e 15 corações dilatados de etiologia idiopática, fixados em formaldeído a 10%. Foram obtidas medidas por meio de fotografias digitais dos corações e, posteriormente, utilizando-se software, foram analisados as distâncias e os perímetros da valva mitral e da valva aórtica, que foram comparadas por meio de testes estatísticos. Nos corações normais, a área da valva mitral foi de 5,44 ± 0,82 cm2 e o perímetro de 8,91 ± 0,57 cm, e nos corações com CMD de etiologia isquêmica e idiopática, a área foi de, respectivamente, 7,38 ± 1,76 cm2 e 7,03 ± 1,44 cm2, e o perímetro foi de, respectivamente, 10,41 ± 1,37 cm e 9,97 ± 1,23 cm. O perímetro de inserção da cúspide anterior da valva mitral, nos corações normais, foi de 3,68 ± 0,52 cm e nos corações com CMD de etiologia isquêmica e idiopática foi de, respectivamente, 3,99 ± 0,86 cm e 3,62 ± 0,78 cm. A menor distância perimetral entre os trígonos fibrosos (porção fibrosa), nos corações normais, foi de 2,06 ± 0,26 cm e nos corações com CMD de etiologia isquêmica e idiopática foi de, respectivamente, 2,64 ± 0,37 cm e 2,34 ± 0,37 cm. Nos corações normais, a área da valva aórtica foi de 3,46 ± 0,66 cm2 e o perímetro de 6,83 ± 0,66 cm. Nos corações com CMD de etiologia isquêmica e idiopática, a área da valva aórtica foi de, respectivamente, 5,22 ± 1,53 cm2 e 3,44 ± 1,33 cm2, e o perímetro de, respectivamente, 8,26 ± 1,24 cm e 6,82 ± 1,37 cm. Nos casos de CMD idiopática e isquêmica, a valva mitral apresentava-se aumentada, tanto na sua área e em seu perímetro, quanto na maior e na menor distância perimetral entre os trígonos fibrosos. Em relação à valva aórtica, apenas nos corações com CMD isquêmica houve aumento estatisticamente significante em sua área e em seu perímetro, enquanto que nos corações com CMD idiopática não houve diferença quando comparados aos corações normais. Há manutenção da proporcionalidade, dos corações normais para os com CMD idiopática e isquêmica, das distâncias entre os trígonos fibrosos. Há evidência de que o aumento da valva mitral e da valva aórtica, quando ocorrem na CMD, se dão de forma independente.
  • DOI: 10.11606/D.10.2006.tde-04072007-124422
  • Editor: Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP; Universidade de São Paulo; Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia
  • Data de publicação: 2006-12-19
  • Formato: Adobe PDF
  • Idioma: Português

Buscando em bases de dados remotas. Favor aguardar.