skip to main content

Entre a espada e a coroa: abolicionistas em confrontos políticos no imediato pós-abolição (1888-1889)

Martins, Gabriela Pereira

Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP; Universidade de São Paulo; Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas 2017-08-11

Acesso online. A biblioteca também possui exemplares impressos.

  • Título:
    Entre a espada e a coroa: abolicionistas em confrontos políticos no imediato pós-abolição (1888-1889)
  • Autor: Martins, Gabriela Pereira
  • Orientador: Alonso, Angela Maria
  • Assuntos: Associações Abolicionistas; Confederação Abolicionista; Confronto Político; Pós-Abolição; Movimentos Sociais; Abolitionist Associations; Post-Abolition; Contentious Politics; Abolitionist Confederation; Social Movements
  • Notas: Tese (Doutorado)
  • Notas Locais: Versão corrigida
  • Descrição: Esta tese investiga as performances de confronto político desempenhadas pelas associações abolicionistas após a promulgação da lei 3.353, que declarou extinta a escravidão no Brasil. O objetivo é entender o que se passa com um movimento social depois que sua principal reivindicação é atingida. Neste caso, trata-se de investigar se os principais atores do movimento abolicionista, a saber, as associações abolicionistas, continuaram em atividade e o que faziam após a abolição. A via metodológica escolhida para a investigação consistiu na quantificação da informação disponível na própria imprensa abolicionista. A pesquisa consistiu no levantamento e leitura de periódicos abolicionistas da província do Rio de Janeiro, publicados entre 13 de maio de 1888 (data da lei áurea) e 15 de novembro de 1889 (data da proclamação da república). A partir desta leitura dos jornais foi construído um banco de dados, com identificação das associações abolicionistas que permaneceram em atividade mesmo depois de atingida a sua principal demanda, bem como das suas performances políticas. A intenção desta tese é tripla: correlacionar performances encenadas no pós-abolição com as do pré-abolição para verificar se elas preservam o padrão de ativismo construído pelo movimento abolicionista; argumentar que as associações são uma ponte organizacional suspendida no tempo, permitindo a transmissão de padrões de performances de um período a outro, assim promovendo a ligação entre ciclos de ativismos; e por último, analisar as interações de confronto das associações com as instituições políticas, observando as aberturas e fechamentos institucionais a elas. A tese demonstra a continuidade do ativismo abolicionista no pós-abolição, identificando 10 associações, sendo a Confederação Abolicionista a matriz organizacional, atuantes no imediato pós-abolição no Rio de Janeiro num contexto adverso, no qual as instituições políticas se mostraram mais refratarias do que receptivas aos abolicionistas.
  • DOI: 10.11606/T.8.2018.tde-02022018-113654
  • Editor: Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP; Universidade de São Paulo; Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
  • Data de publicação: 2017-08-11
  • Formato: Adobe PDF
  • Idioma: Português

Buscando em bases de dados remotas. Favor aguardar.