skip to main content

Atividade antiluteolítica no microambiente uterino durante o período crítico para o estabelecimento da gestação em bovinos

Marques, Vanessa Belentani

Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP; Universidade de São Paulo; Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia 2006-12-14

Acesso online. A biblioteca também possui exemplares impressos.

  • Título:
    Atividade antiluteolítica no microambiente uterino durante o período crítico para o estabelecimento da gestação em bovinos
  • Autor: Marques, Vanessa Belentani
  • Orientador: Binelli, Mario
  • Assuntos: Reconhecimento Da Gestação; Prostaglandina F2Α Bovinos; Ensaio Biológico; Interferons; Prostaglandin F2Α Pregnancy Recognition; Interferons; Bovines; Biological Assay
  • Notas: Tese (Doutorado)
  • Descrição: A inibição da secreção pulsátil de prostaglandina F2alfa (PGF2α) uterina (atividade antiluteolítica) pela ação do interferon-tau (IFN-τ) trofoblástico, mantêm a secreção de progesterona pelo corpo lúteo, fundamental ao estabelecimento da gestação nas fêmeas bovinas. Supõe-se que essa atividade antiluteolítica esteja presente no microambiente uterino bovino, portanto objetivou-se estudá-la. Dada à inexistência de ensaios que meçam especificamente a atividade antiluteolítica propôs-se elaborar um ensaio biológico para tal. Observou-se que células BEND tratadas com forbol 12,13 dibutirato (PdBu) por 6 horas em cultivo sintetizam PGF2α e tal síntese é inibida na presença de interferon-tau recombinante bovino (rbIFN-τ). Em outro estudo definiu-se que 25 ng/mL de PdBu promove estímulo consistente à síntese de PGF2α. A partir da análise de regressão do percentual de inibição à síntese de PGF2α estimulada por PdBu, em função da concentração de interferon-tau recombinante (rbIFN-τ), calculou-se a concentração de rbIFN-τ que inibiu em 50% a síntese máxima de PGF2α (observada na presença apenas de PdBu). Definiu-se a atividade antiluteolítica como o recíproco da concentração proteica requerida para atingir esse percentual de inibição (50%), e que a solução com uma unidade antiluteolítica é aquela que com um micrograma exerça tal efeito. Caracterizou-se a utilização dessa isoforma como padrão do ensaio antiluteolítico e calculou-se a atividade antiluteolítica do mesmo, 9,61 x 10² UA/µg de proteína. Em estudo seguinte observou-se a modulação da síntese de PGF2α estimulada por PdBu, em função da concentração proteica de um pool de lavados uterinos ou meios condicionados por conceptos obtidos no décimo sétimo dia de gestação. Notou-se que para cada fluido testado há um intervalo de concentrações onde observa-se aumento linear na atividade antiluteolítica em função do acréscimo proteico. A partir da análise por regressão linear desse evento calculou-se a atividade antiluteolítica de cada amostra. Para o pool de lavados uterinos calculou-se 1,63 x 10-¹ UA/ µg de proteína, e para o pool de meios condicionados por conceptos 1,66 x 10² UA/µg de proteína. Estes estudos permitiram desenvolver uma metodologia para observar a atividade antiluteolítica em humores biológicos. Aplicando o ensaio antiluteolítico estudou-se a atividade antiluteolítica presente em lavados uterinos obtidos durante o período crítico de fêmeas bovinas prenhes ou cíclicas ( respectivamente, 56,2 e 33,9 UA/µg de proteina), notou-se que a atividade antiluteolítica foi maior no microambiente uterino de fêmeas gestantes. Tal resultado associado à potente atividade antiluteolítica observada para os meios condicionados por conceptos indicam a participação do IFN-τ secretado pelo concepto na modulação da síntese de PGF2α. Entretanto, observou-se atividade antiluteolítica nos lavados uterinos obtidos de fêmeas cíclicas, o que indica que a síntese de PGF2α estimulada por PdBu pode ser modulada por outras proteínas, além do IFN-τ. Sugere-se que a atividade antiluteolítica, observada através do ensaio biológico proposto, é resultante da atuação de fatores estimulatórios e inibitórios presentes nos humores biológicos. Conclui-se que a atividade antiluteolítica pode ser mensurada pelo ensaio biológico proposto, no entanto outros estudos devem ser conduzidos para correlacionar essa atividade com a atuação do IFN-τ.
  • DOI: 10.11606/T.10.2006.tde-02032007-174915
  • Editor: Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP; Universidade de São Paulo; Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia
  • Data de publicação: 2006-12-14
  • Formato: Adobe PDF
  • Idioma: Português

Buscando em bases de dados remotas. Favor aguardar.