skip to main content

Compassos territoriais: os circuitos da economia urbana na música em São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Recife e Goiânia

Creuz, Villy

Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP; Universidade de São Paulo; Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas 2013-02-21

Acesso online. A biblioteca também possui exemplares impressos.

  • Título:
    Compassos territoriais: os circuitos da economia urbana na música em São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Recife e Goiânia
  • Autor: Creuz, Villy
  • Orientador: Contel, Fabio Betioli
  • Assuntos: Cidades; Circuitos Da Economia Urbana; Música; Técnica; Cities; Music; Technique; Urban Economy Circuits
  • Notas: Dissertação (Mestrado)
  • Notas Locais: Versão corrigida
  • Descrição: O eixo da pesquisa se respaldou em situações concretas nos circuitos superior e inferior da economia urbana, a partir de empresas e indivíduos que produzem, distribuem, comercializam e consomem músicas em cinco cidades brasileiras: São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Goiânia e Recife. O fenômeno técnico, isto é, a técnica mais o seu uso, foi central no entendimento da maneira pela qual micro e pequenas empresas, especialmente as firmas ligadas à gravação e produção de discos, passaram a coexistir com as empresas do circuito superior. A técnica permeou todo o enredo analítico ao buscar descrever e entender os mecanismos das empresas ligadas à música nos dois circuitos da economia urbana. Elaboramos uma pequena história das técnicas de produção e reprodução musical, perpassando o disco de vinil, as fitas cassete, chegando ao disco compacto e ao MP3. Essa passagem está mais evidente nos dois primeiros capítulos. Na sequência, evidenciamos o uso do território mediado pela técnica, a permitir a adequação do meio construído urbano aos agentes com menor grau de organização, capital e tecnologias. Os novos nexos estabelecidos com as variáveis do período, como a propaganda e a informação, são dados expressivos nos graus de interdependência e complementariedade entre o conjunto de empresas que produzem, distribuem, e comercializam música nessas cinco cidades. Este fenômeno, concomitante ao adensamento populacional nas cidades, fomentou a demanda por postos de trabalho e a oferta de serviços, no qual a música representa importante participação. A identificação de algumas destas situações está mais bem delineada no quarto e quinto capítulo. O papel do Estado perpassou os cinco primeiros capítulos, mas no último capítulo (sexto) há o retrato de situações que evidenciam o Estado em uma dupla função: fomentador de produções e apresentações musicais e regulador da ação de micro, pequenos, médios e grandes agentes ligados à comercialização de discos tributados e não tributados.
  • DOI: 10.11606/D.8.2013.tde-25042013-112032
  • Editor: Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP; Universidade de São Paulo; Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
  • Data de publicação: 2013-02-21
  • Formato: Adobe PDF
  • Idioma: Português

Buscando em bases de dados remotas. Favor aguardar.