skip to main content

Desenvolvimento e validação de metodologia analítica para identificação e doseamento de medicamentos anti-esquistossomose

Santos, Elenice Luduvina Da Silva

Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP; Universidade de São Paulo; Faculdade de Ciências Farmacêuticas 2016-01-19

Acesso online. A biblioteca também possui exemplares impressos.

  • Título:
    Desenvolvimento e validação de metodologia analítica para identificação e doseamento de medicamentos anti-esquistossomose
  • Autor: Santos, Elenice Luduvina Da Silva
  • Orientador: Aurora Prado, María Segunda
  • Assuntos: Validação De Métodos Analíticos; Cromatografia Liquida De Alta Eficiência; Eletroforese Capilar; Esquistossomose; Oxamniquina; Schistosomiasis; Oxamniquine; High Performance Liquid Chromatography; Capillary Electrophoresis; Analytical Methods Validation
  • Notas: Dissertação (Mestrado)
  • Descrição: A esquistossomose ou bilharziose, é uma doença produzida por trematódeos do gênero Schistosoma. Dentre as 19 espécies reconhecidas, cinco infectam primariamente o homem: S. mansoni, S. haematobium, S. intercalatum, S. japonicum e S. Mekongi.O número de pessoas com infecção esquistossomótica, em todo o mundo, foi estimado em 200 milhões sendo sua maioria na Ásia e África. Na América do Sul e Caribe encontram-se vários milhões de casos sendo uma estimativa de mais de seis milhões de casos no Brasil. Os fármacos utilizados para o tratamento desta enfermidade são o praziquantel e o oxamniquina, sendo este último o princípio ativo do produto Mansil® cápsulas produzido pela indústria farmacêutica Pfizer. O presente trabalho teve como objetivo desenvolver e validar métodos analíticos por eletroforese capilar (CE) e por cromatografia líquida de alta eficiência (HPLC), rápidos, seletivos e confiáveis para a determinação de oxamniquina em formulações farmacêuticas e de sua impureza (uk-3883), quando houver. A separação cromatográfica foi realizada usando a coluna Thermo® Nucleosil C18 (150 mm x 4,6 mm x 5 µm), com fase móvel constituída por água acidificada com 0,1% ácido ortofosfórico:metanol (40:60 v/v), trabalhando com vazão de 1,0 mL min-1 e volume de injeção de 2 µL. A temperatura da coluna foi controlada em 20 ºC e a detecção foi realizada na região do UV em 254 nm. O tempo de retenção da oxamniquina foi de 1,9 min e da uk-3883 5,1 min. O método por eletroforese capilar de zona (CZE) foi desenvolvido utilizando capilar de sílica fundida de 20 cm (comprimento efetivo) x 50 µm d.i. e eletrólito constituído da solução tampão fosfato de sódio monobásico 30 mmol L-1, pH 2,5 ajustado com ácido orto-fosfórico 10%: metanol 18% v/v. Injeção hidrodinâmica 0,5 psi/3 s; voltagem aplicada de +25 kV, temperatura de 20 ºC e detecção no UV de 254 nm. Os métodos analíticos foram validados de acordo com os requerimentos vigentes da ANVISA, ICH e Farmacopéia Americana. Portanto, os métodos propostos demonstraram linearidade (R2>0,99), precisão (%DPR < 2%), exatidão (>98%, expressado em porcentagem de recuperação) e adequabilidade para a quantificação da oxamniquina em formas farmacêuticas comerciais.
  • DOI: 10.11606/D.9.2016.tde-16032016-100730
  • Editor: Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP; Universidade de São Paulo; Faculdade de Ciências Farmacêuticas
  • Data de criação/publicação: 2016-01-19
  • Formato: Adobe PDF
  • Idioma: Português

Buscando em bases de dados remotas. Favor aguardar.